Top Gear (SNES)

segunda-feira, 24 de julho de 2017 Postado por P.A.


Gênero: corrida


Fabricante: Gremlin Graphics


Lançamento: 1992


Jogadores: 1-2 player versus





Top Gear (ou Top Racer no Japão) foi um jogo de corrida produzido pela Gremlin Graphics e lançado pela Kemco em 1992.
Muitos o consideram como sucessor espiritual do Rad Racer lançado para Nintendinho 8-bits em 1987 pela Square, o que não faz muito sentido já que eles não tem praticamente nada em comum. Rad Racer era muito mais parecido com outro clássico do concorrente: Out Run!
Top Gear na verdade é um primo de terceiro grau da série Lotus lançada pros computadores Amiga. Série esta que também foi lançada pela Gremlin Graphics... Basta ouvir a trilha sonora dos dois jogos e constatar que eles apenas pegaram as músicas do Lotus e deram uma repaginada para o jogo do Super Nintendo!

Como um jogo de corrida seu objetivo é ficar entre os primeiros e se tornar o campeão mundial correndo por pistas em diversos países.
Antes de começar sua trajetória, você pode dar um nome ao piloto; escolher a configuração dos botões; escolher a transmissão MANUAL ou AUTOMÁTICO e principalmente, escolher entre quatro carros diferentes; cada qual com sua característica. As características afetam o desempenho dos carros, variando em termos de aceleração, velocidade máxima, aderência dos pneus e consumo de combustível.

São quatro opções, mas você sempre vai escolher o carro branco!

Os comandos são básicos: um botão acelera, outro freia e um terceiro botão é o Nitro (três por corrida apenas). Caso escolha pra mudar as marchas manualmente, o L/R vão ser os botões para isso.
Além disso, na tela inicial você escolhe a dificuldade do jogo que é dividida em AMATEUR, PROFESSIONAL ou CHAMPIONSHIP.

O jogo possui 32 pistas espalhadas pelos continentes do globo, mas pra você não ter que jogar tudo de uma única vez, Top Gear possui um sistema de passwords que surge conforme você vai se classificando nos campeonatos. Os passwords mudam de uma dificuldade pra outra...
O mínimo que você precisa fazer pra se classificar é terminar as corridas em quinto e ficar pelo menos em terceiro na classificação geral do campeonato... Se ficar abaixo disso é Game Over!

Uma coisa à se estranhar ao jogar Top Gear pela primeira vez é sua tela dividida, como se estivesse jogando com um amigo, mesmo quando não está.
Particularmente acho isso um ponto falho, já que por mais que a tela de baixo sirva pra você bloquear seu rival - mesmo ele sendo controlado pela máquina - não havia necessidade de ficar a tela dividida quando se está jogando sozinho. E os produtores devem ter percebido isto, já que os jogos seguintes não possuíam mais a tela dividida e nem o seu principal rival controlado pela máquina.
Uma característica muito legal da série é o Pit Stop, que dava um ar de realismo à série mesmo numa época mais simples. Não haviam muitos jogos nos anos 90 que se preocupavam em dar o realismo do combustível nos jogos de corrida...
Por isso é importante calcular bem a volta e o quanto o carro escolhido gasta de combustível. Se ele bebe mais que aquele seu tio alcoólatra que faz a piadinha do pavê nas festas em família, você tem que tomar cuidado pra não ficar no meio da pista sem combustível.

Como eu disse anteriormente, você sempre tem um rival que fica na tela de baixo, mas ele não é o seu concorrente mais difícil, já que ele sempre pega um carro gastão e por diversas vezes ele acaba ficando parado no meio da pista sem combustível. O único concorrente que realmente vai te dar trabalho é Ritchie... E não é por acaso, esse piloto recebeu o nome de um do programadores do game (Ritchie Brannan) e de todos os carros controlados pela máquina ele é o único que pode realmente te dar trabalho, principalmente na dificuldade mais alta.
O que dificulta um pouco é que só você e o seu rival da tela de baixo são obrigados a parar no pit stop abastecer. Os demais carros nunca param e por isso em dificuldades mais altas você pode ter trabalho pra vencê-los... Mas em contraponto à isto, você é o único corredor à ter os Nitros a disposição.

Graficamente Top Gear ainda é muito bonito, mesmo para os dias de hoje. Cenários e pistas são bem feitos e detalhados, com carros bem grandes na tela. Infelizmente, todos os carros adversários são idênticos variando apenas as cores. Os únicos carros diferentes são os quatro carros que você pode escolher pra controlar.
Vale lembrar que os quatro carros disponíveis pra escolher são baseados em modelos reais! Curiosamente o carro da capa do jogo não é nenhum deles e sequer existe no jogo...

Além disso, ás vezes aparecem alguns balõezinhos durante as corridas com falas (dependendo do que você faz), dando um tom mais cômico ao jogo. Por exemplo, se você fica batendo repetidamente em algum carro surge um balãozinho com a frase "Are you blind? Get outta my way!!!"...

O charme das corridas noturnas...

Talvez o grande destaque de Top Gear seja sua trilha sonora. O jogo possuí apenas quatro músicas, mas todas elas são muito marcantes e por mais que fiquem se repetindo, parecem não enjoar... Todo mundo que jogou Top Gear guarda com carinho na memória suas músicas. Os efeitos sonoros também cumprem bem seu papel, como o barulho de aceleração dos carros ou os pneus derrapando.

Por incrível que pareça, o jogo não fez tanto sucesso assim em outros países se tornando um clássico apenas aqui no Brasil. Em muitos TOPs gringos o jogo sequer é mencionado...



NOTA FINAL: 8,5
TOP GEAR É UM JOGO  FÁCIL DE SER JOGADO POR QUALQUER UM E AINDA TEM CARACTERÍSTICAS BEM INTERESSANTES, ALÉM DE UMA TRILHA SONORA VICIANTE QUE O ETERNIZOU COMO UM CLÁSSICO, PELO MENOS PRA NÓS BRASILEIROS!
Plataforma:


Comente com o Facebook: