Crash Bandicoot 3: Warped (PSX)

sábado, 5 de setembro de 2015 Postado por P.A.


Gênero: Ação / Plataforma


Fabricante: Naughty Dog


Lançamento: 1998


Jogadores: 1 player





Em 1996 quando o primeiro jogo da série foi lançado, Crash Bandicoot ainda era uma aposta e talvez poucos apostassem em um sucesso tão grande do carismático personagem. Dois anos mais tarde, chegava ao mercado o terceiro título da série, e agora Crash já não era mais uma aposta, e sim uma realidade. O terceiro título viria pra fechar com chave de ouro a trilogia incrível lançada pela Naughty Dog, pro console da Sony...

Crash Bandicoot 3: Warped continua de onde o segundo jogo parou... Depois de derrotar Cortex (de novo), a plataforma espacial do cientista caí na Terra, coincidentemente na prisão onde estava Uka Uka, a máscara-irmã maligna do Aku Aku. Com a explosão, a máscara do mal fica livre... Uka Uka se irrita muito com Cortex, por seus frequentes fracassos em reunir os cristais e derrotar Crash e introduz um novo aliado para ajudá-los nessa tarefa: o Dr N. Trophy, que criou uma máquina do tempo para que eles possam viajar pelo tempo em diferentes lugares e assim recuperar os cristais antes do Crash. Crash e seus amigos ficam sabendo desse plano maligno e viajam no tempo também para impedir que eles reúnam todos os cristais!

A primeira coisa a ser notada ao começar a jogar é a presença da sala com warp rooms que leva pras diversas fases e mundos do jogo (warp room que foi inserido no segundo jogo da série). No segundo jogo, os mundos ficavam em andares diferentes, e conforme se concluía um deles, uma plataforma te levava pra cima para o próximo mundo. Aqui todos os mundos e fases estão no mesmo nível (exceto um extra), mas somente o primeiro esta aberto; os demais mundos vão sendo liberados conforme se conclui o anterior, é claro. As fases são portais que te levam para diferentes épocas e lugares no tempo e assim como em Crash Bandicoot 2, você pode escolher a ordem que quiser pra jogá-las antes de enfrentar o chefe daquele mundo. No total são 25 fases normais e mais 5 fases extras.   

Graficamente o terceiro jogo não mudou muito comparado ao anterior; o que não é um ponto negativo, já que o segundo jogo era muito bonito e bem colorido. Como o jogo trata de viagem no tempo, existem cenários dos mais diversos tipos por onde nosso personagem viaja; como reinos da idade média, pré-história, a muralha da China, o antigo Egito até fases futuristas. Assim como os cenários, os inimigos também são diversos para se encaixarem no tipo de fase em questão. Todos muito bem feitos, com uma boa taxa de animação. Crash também é muito animado e tem uma boa taxa de animação... Destaque pra dancinha de comemoração do Crash, muito bem animada e engraçada.
A maior parte do jogo se passa com cenários em 3D com a câmera por trás do nosso personagem, porém em alguns momentos o jogo fica em 2D com movimentação lateral (fases bônus, por exemplo).

Escolha a fase e pule no portal!

A trilha sonora acompanha o ritmo do jogo com boas melodias que se adaptam ao nível do qual fazem parte. Todas são bem compostas e a maioria com um tom cômico, pra combinar com o estilo do jogo e do personagem. Os efeitos sonoros são praticamente os mesmos dos outros jogos, desde explosões até as 'vozes' da máscara e do personagem principal. A dublagem também foi muito bem feita!

A jogabilidade é simples e fluida, como é de se esperar da série. Crash pode andar, pular e girar para atacar e destruir as inúmeras caixas espalhadas pelas fases. Além do básico, Crash ganha várias habilidades ao derrotar os chefes; como o pulo duplo, o giro mais forte, os sapatos que dão mais velocidade e até uma bazuca!
Em alguns momentos o jogo tenta dar uma variada no gameplay inserindo fases onde controlamos um avião, disputamos corridas de moto e até mesmo controlar Coco (irmã de Crash) montada num tigre ou num jet-ski. Todas elas muito bem executadas e mantém a qualidade sem prejudicar a jogabilidade.

Você provavelmente vai morrer muito durante a jornada, mas não se preocupe, pois ganhar vidas nesse jogo é muito fácil. Além de também ser possível salvar o jogo a qualquer momento no painel que fica na sala das warp rooms.
E por falar em mortes, morrer nesse jogo é não é tão irritante quanto em outros jogos, afinal todas as mortes de Crash são engraçadas, desde morrer esmagado, explodir numa caixa de dinamite e virar um fantasma até ser fatiado por uma espada.

"Hasta la vista, baby!"

Assim como no segundo jogo da série, novamente existe um final extra! Além dos cristais rosas, você ainda tem que coletar as diversas gemas e relíquias para completar o jogo totalmente (dá pra chegar no 105%) e liberar o final extra... Sem dúvidas, isso aumenta o tempo de vida do jogo. Mas vale lembrar que algumas dessas gemas e relíquias são bem difíceis de serem conseguidas.



NOTA FINAL:10,0
O MELHOR DA TRILOGIA LANÇADA PARA O PLAYSTATION E UM DOS ÚLTIMOS TÍTULOS DE QUALIDADE DO CARISMÁTICO PERSONAGEM. SEM SOMBRAS DE DÚVIDAS, UM DOS JOGOS MAIS DIVERTIDOS DE TODOS OS TEMPOS... 
Plataforma:


Comente com o Facebook: