Ninja Gaiden II: The Dark Sword of Chaos (NES)

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015 Postado por P.A.


Gênero: Ação / Plataforma


Fabricante: Tecmo


Lançamento: 1990


Jogadores: 1 player





A era dos 8-bits marcou a vida de muita gente e talvez seja a época onde os jogos eram mais difíceis. Como geralmente os jogos não eram muito longos; os produtores exageravam na dificuldade pra que os jogadores ficassem por mais tempo desfrutando daquele título. Isso ocorria com os jogos de fliperamas também, mas a dificuldade lá era pra comer mais fichas e fazer os jogadores gastarem mais dinheiro. Nos consoles a dificuldade era usada apenas pra compensar a curta duração do jogo. E Ninja Gaiden é mais um desses títulos difíceis! E olha que ele nem é tão curto assim...

Ninja Gaiden II começa um ano após os eventos do primeiro jogo. Após derrotar Jaquio (ou pensar ter derrotado), nosso herói Ryu Hayabusa e sua namorada Irene pensavam que tudo havia terminado. Mas um novo mal surge! Um demônio chamado Ashtar, possuidor da espada do caos, esta querendo dominar o mundo (como sempre!) abrindo o Portão da Escuridão sobre nosso planeta. Sabe-se lá porque, Ashtar ordena que seus capangas sequestrem Irene, o que infelizmente cai no clichê dos jogos dessa época do sequestro de namoradas. Isso é motivo para que nosso herói parta em mais uma aventura para salvar sua amada e toda a humanidade.

O jogo não apresenta muitas diferenças em relação ao seu antecessor. O que não significa que isso seja ruim; afinal quem gostou do primeiro jogo, também vai gostar do segundo e já vai estar bem familiarizado com tudo... E as poucas coisas que mudaram, mudaram pra melhor! Foram mudanças pontuais que só engrandeceram ainda mais o jogo!

O jogo é dividido em atos e a história continua sendo contada com as belíssimas cut-scenes entre os estágios. E conforme vai progredindo o jogador vai ficando mais curioso com o desfecho da trama...

A jogabilidade que já era boa, agora ficou quase perfeita. Alguns itens foram retirados e outros foram acrescentados... O principal deles é a habilidade de criar até dois clones invencíveis do nosso personagem que ficam seguindo e copiando seus movimentos durante todo o tempo; habilidade muito útil pra acertar inimigos e até mesmo chefes.
Outra coisa boa é que agora Ryu aprendeu a escalar paredes. No primeiro jogo ele apenas grudava nas paredes e a gente tinha que ir pulando em zigue-zague na parede paralela até chegar ao topo... Agora essa chateação ficou pra trás! E falando em paredes, agora mesmo que você esteja grudado em uma, poderá usar seus poderes para acabar com inimigos que vem em sua direção; diferente do primeiro jogo onde isso não era possível.
Mas como eu disse, a jogabilidade quase ficou perfeita. Ryu sofre de um mal que afeta inúmeros personagens dos 8-bits... Sempre que apanha, Ryu dá um pulo pra trás e com isso pode ser jogado no buraco infinito mais próximo. O que faz com que sua barra de vida, se torne inútil em muitos momentos. Claro que isso faz parte da dificuldade do jogo, principalmente em áreas muito abertas que estão cheias de inimigos esperando pra te jogar num deles! Sim, o primeiro inimigo que veio em sua mente foi a maldita águia...

Morcegos são tão lazarentos quanto as águias!

Outra coisa irritante são os inimigos infinitos. Eles não param de aparecer! Se você deixou um item pra trás e esta pensando em voltar pra pegá-lo, melhor esquecer. Não compensa o sofrimento; pois todos os inimigos próximos irão aparecer de novo, mesmo que você tenha acabado de matá-los! Muitas vezes, apenas um passo que você dá pra trás já é suficiente pros inimigos aparecerem novamente...
Pior é quando você esta focado no inimigo a sua frente e do nada um inimigo vem correndo por trás e te atinge!

Mas uma grande mudança aliviou um pouco a vida de todos nós! Caso morra numa luta contra um chefe, por exemplo, você começará na última fase do ato. Diferentemente do primeiro jogo, onde nós voltávamos para a primeira fase do ato em questão, o que certamente irritava e fazia com que muitos desistissem de tentar jogar de novo!

Graficamente o jogo pouco mudou. O primeiro jogo já era muito bom nesse aspecto, e a qualidade se mantém. Cenários bem detalhados, cut-scenes muito bonitas e uma boa gama de movimentos dos personagens... A única alteração é o tamanho do sprite dos personagens, que parecem estar um pouco maiores na tela!
Uma novidade aqui são as fases com alterações no clima e efeitos de iluminação. Há uma fase na neve com vento que dificulta movimentação e também uma fase com trovões que iluminam o cenário! Ambas as fases são bem chatas, mas é legal ver os efeitos usados.
Assim como os gráficos, a parte sonora também não sofreu muitas alterações. As músicas do jogo continuam muito agradáveis e animadas, pra ditar o ritmo frenético do jogo, apesar de se repetirem algumas vezes! Os efeitos sonoros também seguem o padrão de qualidade e estão muito bons.

"Vou tirar uma foto aqui pra compartilhar no Instagram..." #instacool #instahappy #instaninja

Ninja Gaiden II é mais fácil que o primeiro devido às melhorias citadas, mas não pense que isso significa muita coisa. O segundo jogo continua muito difícil e depois de terminá-lo certamente você não vai querer jogá-lo por um bom tempo!



NOTA FINAL: 9,5
NINJA GAIDEN II MELHORA PONTOS FUNDAMENTAIS ONDE O SEU ANTECESSOR PECAVA, O QUE O TORNA UM GRANDIOSO JOGO! APESAR DE ALGUMAS MELHORIAS QUE FACILITARAM NOSSA VIDA, O JOGO AINDA É UM DOS MAIS DIFÍCEIS DO CONSOLE.
Plataforma:


Comente com o Facebook: