Superman (N64)

segunda-feira, 29 de julho de 2013 Postado por Tristan.ccm


Gênero: Ação


Fabricante: Titus


Lançamento: 1999


Jogadores: 1 player


Em 1992, Batman estava voltando aos holofotes após dois maravilhosos filmes dirigidos por Tim Burton. Após aquele desastre que foi a série televisiva dos anos 60, muitos consideravam o herói morto, mas o ar sombrio dos novos filmes mostrou finalmente um Batman como os quadrinhos pintavam: um herói amargurado pelo passado, sem poderes mas que sabia como ninguém se esconder nas sombras e causar terror nos bandidos. No rastro do sucesso dos filmes, a Warner convocou o recém-contratado Bruce Timm (um dos responsáveis pelos megasucessos He-Man e Tiny Toons) para trabalhar numa série de animação do homem-morcego. O resultado foi a maravilhosa Batman - the Animated Series, que mostrava um herói ainda mais sombrio numa belíssima Gotham estilo "art déco".

O trabalho de Timm deu tão certo que a Warner decidiu expandir seu trabalho para outro herói: Superman. Mas ao contrário do cavaleiro das trevas, o último filho de Krypton estava em baixa, depois de ter sua imagem associada ao canastrão-mor Dean Cain na terrível série televisiva Lois & Clark (sim, aquela mesma que passava depois do Fantástico e que foi substituida pelo Sai de Baixo). A série mantinha o traço característico de Batman, mas a Metropolis diurna e colorida não parecia tão legal quanto a Gotham noturna e sinistra do desenho anterior, tanto que o desenho do Batman acabou vindo em seu socorro quando sua audiência capengou, renomeado de As Aventuras de Batman e Robin (que entrou para a história com o primeiro Robin macho de verdade). A série do Superman acabou cancelada, e o herói acabaria voltando apenas em 2001, no desenho Liga da Justiça, que misturaria os dois heróis já retratados por Timm com outros ícones da DC como Flash, Mulher Maravilha (a mais gata desenhada até hoje) e Lanterna Verde.

Quem assistiu esses desenhos sabe: o que o Batman tinha de foda, o Superman tinha de bundão! O cara tem força quase infinita, é à prova de balas, voa mais rápido que a luz, pode queimar o que quiser só com o olhar, seu hálito congela qualquer coisa... Como pode um cara com esses poderes apanhar feito mulher de malandro pra qualquer inimigo? Mesmo quando teve a ajuda de outros heróis em Liga da Justiça ele sempre apanhava feio (até do Coringa que nem poder tem ele tomou uns tabefes num episódio!). Eu até cheguei a gostar do sr. Kent na minha infância (era um dos que amarrava um pano nas costas e fingia voar depois de ver os filmes do Christopher Reeve), mas depois das representações posteriores que ele teve mudei meu conceito. Quem sabe o novo filme dele não conserta isso? (ainda não assisti, podem me xingar)

Bem, mas todo esse blablablá sobre desenhos e filmes não está aqui à toa. Afinal, o sucesso desses programas sempre desemboca em games. O desenho do Batman teve um ótimo jogo no SNES (já resenhado pelo P.A.), e o do Superman teve este, lançado exclusivamente pro N64 (chegou a ser cogitada uma versão pra PS1, que foi cancelada). E eu nem preciso falar sobre o lixo que esse game é, todo mundo que sabe ligar um computador já ouviu falar dessa bomba. E talvez o motivo seja justamente esse: o jogo do Batman veio de um desenho que era muito bom, e o jogo é fiel a ele, pois fala de episódios do desenho. O game do Superman é diferente: não há NENHUM episódio da série onde Lex Luthor sequestra Lois Lane e Jimmy Olsen para atrair Superman para uma armadilha, jogando-o numa realidade virtual: isso ocorre no desenho do Batman, no episódio "O que é realidade?", onde o Charada faz isso com o Comissário Gordon e Batman entra no mundo virtual para salvá-lo. No desenho os puzzles são criativos, mas no game não passam de um caminho de anéis!

Mas o sal na ferida é a jogabilidade. Existe uma espécie de lag entre você apertar um botão e o jogo responder, coisa que não acontece em outros jogos (e nem é culpa do meu joystick, isso só acontece nesse jogo). Se a precisão dos controles não fosse crucial no festival de anéis que você precisa passar pra chegar no fim da fase, isso não seria um problema tão grande. É como se você jogasse Sonic e ele demorasse de um a dois segundos entre você apertar o botão e ele pular, ou seja, isso torna o jogo quase impossível de se zerar.

Com isso, posso concluir que o grande culpado nem é o Superman, poderoso demais pra ser tão molóide, nem do desenho, que poderia ter se saído melhor por ter sido feito por craques. O culpado aqui é a programação. Eu tenho jogado muito ultimamente o MMO DC Universe Online, onde o voo e os "anéis contra o relógio" também estão presentes, mas ali você não briga com os controles pra manter seu herói no curso desejado. Ele tem boas ideias, poderia até ter se tornado uma espécie de "GTA do Superman" se os programadores tivessem se esforçado mais, mas tudo indica que ele foi programado às pressas por um cara que não manjava muito disso, e o resultado foi o pior jogo de super-herói já feito. Uma pena que um herói como Superman quase nunca seja bom de games (Death and Return of Superman, de SNES, é um dos poucos que se salvam). O maior de todos os heróis merecia algo melhor...

NOTA FINAL: 0,0
BASEADO NUM DESENHO NÃO TÃO BOM, COM UMA EQUIPE DE PROGRAMADORES INCOMPETENTE E COM CONTROLES CAGADOS, ESSE É UM GAME QUE CONSEGUE SER MAIS DANOSO AO HOMEM DE AÇO DO QUE UMA TONELADA DE KRYPTONITA. 

Plataforma:


Comente com o Facebook: