The Ignition Factor (Snes)

domingo, 17 de fevereiro de 2013 Postado por Azrael_I

Gênero: Ação


Fabricante: Jaleco


Lançamento: 1994


Jogadores: 1



"Ok, people, let's save some lives!"

Feliz Ano-Novo, pessoal! Após muito tempo estou de volta (chega de deixar o Tristan segurando sozinho as pontas no Blog), para falar de um jogo que teve forte influência na minha vida pessoal: Ignition Factor. Ignition Factor (Fire Fighting, no Japão) é um dos poucos games que existem cujo tema são os bombeiros; não apenas isso, é também um game muito bom. No papel de um bombeiro, o jogador deve passar por diversas missões em locais diferentes da cidade (supostamente Nova York), resgatando pessoas e combatendo incêndios, ou até mesmo ajudando outros bombeiros com problemas.

No meio de um incêndio, cuidado pra não ficar sem água

O game é dividido em estágios, que por sua vez têm duas ou mais missões; no começo de cada estágio o jogador deve escolher qual missão quer fazer primeiro, sendo obrigatório passar por todas as missões para ir para o estágio seguinte. A jogabilidade é simples e intuitiva, mas bem trabalhada, o personagem pode andar ou correr numa perspectiva quase isométrica (a visão da tela lembra bastante o esquema do game Metal Gear), além de usar seus equipamentos nas missões, chutar portas e pular (sendo que, na verdade, estes dois últimos comandos são bem pouco usados no game); os principais comandos são o uso dos equipamentos primário e secundário, um para o botão Y e outro para o botão A. O jogador possui um inventário como os dos RPGs em que ele coloca os equipamentos que devem ser escolhidos antes de cada missão: extintores de água para os diferentes tipos de fogo (químicos e elétricos), bombas de CO2 para apagar grandes áreas de fogo, explosivos plásticos para abrir passagens, corda para transpor buracos, machado para arrombar portas, croqui para verificar pisos que quebram, equipamento de respiração para missões em lugares cheios de fumaça e gás... Dependendo da missão, certos equipamentos são obrigatórios (o extintor de água em incêndios e o equipamento de respiração em missões com áreas cheias de gás), entretanto não é recomendado levar muitos equipamentos porque o peso deles torna o bombeiro incapaz de correr (o que é fatal por causa do tempo das missões) e incapaz de pegar itens que encontrar pelo chão.

  
Primeiro estágio: salvar primeiro as pessoas da loja de manequins ou da fábrica?


Um fator negativo na jogabilidade é que fica meio difícil controlar o bombeiro quando ele corre (apertar o botão direcional duas vezes na direção que se quer correr), o que em geral faz ele parar no meio do fogo, literalmente se queimando. O bombeiro tem um medidor de saúde que mostra o quanto ele pode se queimar, machucar em quedas ou receber danos por ficar sem ar; esse medidor começa no número 64 e diminui até zero com os ferimentos, mas este valor pode aumentar no decorrer do game, de acordo com a experiência ganha; o jogador ganha experiência no final das fases, de acordo como realizou as missões: tempo, quantidade de pessoas salvas além do mínimo requerido (salvar 8 pessoas numa missão em que deveria salvar 7, por exemplo) itens que encontrou, quanto do incêndio apagou etc., mas perde experiência se os itens que encontrar forem danificados. Se o medidor de saúde chegar a zero ou se o tempo acabar antes que resgate todas as pessoas, o jogador perde um continue (nada de vidas, como na vida real você só possui uma...) e deve reiniciar a missão. É possível também andar lateralmente segurando o botão R, e o mesmo botão serve para ver o fogo escondido nas áreas. Alguns equipamentos como extintores, bombas e o tanque de Oxigênio também possuem um medidor que diminui à medida que se usa; embora o extintor de água recarregue sozinho, os demais equipamentos só podem ser recarregados por algum dos outros bombeiros que esteja na fase (e nem todos recarregam os equipamentos, pra piorar). É possível também trocar equipamentos e itens com os outros bombeiros para diminuir a carga ou pegar algum equipamento que não foi colocado no inventário no começo da fase.

 
Após concluir as missões, receba seu prêmio: o aplauso da multidão!
 
Além dos equipamentos, no começo de cada missão o jogador recebe avisos dos outros bombeiros sobre como é a missão, sugestão de que equipamentos usar (por exemplo, se vai ser necessário o extintor de fogo elétrico), ver o mapa do local, quanto tempo ele tem para realizar a missão e quantas pessoas deve salvar. Além disso ele também pode escolher por qual lado o caminhão de combate a incêndio irá atuar (o que na verdade não é muita vantagem, caso não se conheça a fase, uma vez que se nunca passou pela fase o jogador não sabe em qual lado da fase tem mais fogo... Bola fora da Jaleco, já que o lado em que o caminhão atua não pode ser mudado no meio da missão), sendo que durante a missão o jogador  pode pedir ajuda do caminhão até três vezes e é bom economizar, já que a tendência é o incêndio aumentar próximo do fim do tempo se o jogador se ligar apenas em salvar as vítimas e não apagar muito do fogo. Apertando Start mostra o inventário e Select um mini-mapa do local da missão, com a localização aproximada de possíveis vítimas (mas nem todas as vítimas aparecem; em algumas fases, como na fábrica de manequins, é preciso procurá-las usando o jato de água nos manequins). As missões são bem variadas, cada fase é bem diferente da outra e obriga o jogador a raciocinar antes de agir, não é só "chegar, apagar o fogo e salvar as pessoas" nas fases é preciso até mesmo resolver alguns mini-puzzles para seguir adiante e salvar as vítimas.

O "detalhado" mapa no seu Computador do Milhão, marca Grapentosh


Quanto aos gráficos, estão simplesmente ótimos; assim como acontece no game de True Lies, a perspectiva é de vista superior "à lá Metal Gear": o jogador pode controlar o personagem em todas as direções (cima, baixo, esquerda, direita) ou mesmo andar inclinado, além de subir e descer escadas e pavimentos (ou até cair em buracos). Os rostos dos personagens estão desenhados num estilo próximo ao das HQs americanas e os sprites estão bem realistas (na medida do possível para 16 Bits), mais uma vez lembrando os gráficos de True Lies. As fases estão bem desenhadas e retratam bem os cenários, nada espetacular, mas detalhado o suficiente para o jogado identificar as construções. O ponto negativo, entretanto, são os itens que o jogador encontra: embora os itens apareçam no inventário (ocupando espaço e diminuindo a velocidade do bombeiro), eles não aparecem nas fases, de modo que fica muito difícil e fora de mão (por causa do tempo) procurá-los; é claro, não existem muitos itens nas fases e eles nunca mudam de lugar nem são obrigatórios para concluir as missões (exceto alguns específicos), mas não mostrá-los chega a ser um erro, só é possível encontrar os itens quando o personagem passa por cima do local em que o item está ou encontra a pessoa certa que tem o item (que, além das vítimas, pode até ser um dos outros bombeiros).

Preste atenção nas mensagens do rádio, soldado


A parte sonora também ficou excelente; existem poucas músicas e a maioria não toca durante as fases (talvez para aumentar a tensão, quando o tempo está acabando toca uma música rápida, além do tema que sempre toca antes de cada fase), o destaque vai mesmo para os efeitos sonoros. Como quase tudo neste game, os efeitos sonoros estão bastante realistas, principalmente as vozes: sendo um jogo feito quase no fim da vida do Snes, Ignition Factor já tinha falas para alguns personagens (nada no nível de Star Ocean, mas bem claras e audíveis). Os demais sons também estão no mesmo nível, como as explosões, o barulho do fogo queimando, da água do extintor...

Chamando todos os carros!

Ignition Factor é, então mais um game único lançado para Snes: jogabilidade original, desafiante, com bons gráficos e músicas... Bastante realista, ainda mais para um game de 16 Bits, o maior destaque de Ignition Factor é o fato de o game ressaltar que combater os incêndios não é o mais importante na profissão de um bombeiro, e sim SALVAR VIDAS! Embora tenha sido lançado quase no fim da vida do Snes, Ignition Factor continua sendo um game bastante interessante, não apenas por usar a temática dos bombeiros de forma realista, mas também por sua qualidade, muito acima de outros games de ação. Ah sim, ninguém vira bombeiro só de jogar este game, a vida real é bem mais difícil... Aqui você só tem uma vida para salvar a dos outros.

A capa japonesa; bem mais legal né?


NOTA FINAL: 10,0
OUTRO GAME RARO  DO SNES, QUE DEMONSTRA A REAL CAPACIDADE DO CONSOLE; ENCARNE A DURA PROFISSÃO E BRADE O LEMA DOS BOMBEIROS: VIDAS ALHEIAS, RIQUEZAS SALVAR!
Plataforma:


Comente com o Facebook: