Top 10 - Coisas mais inúteis dos games

domingo, 25 de novembro de 2012 Postado por Tristan.ccm

É realmente emocionante quando encontramos um item num game que estávamos procurando, seja porque ele parece nos ajudar ou por ser essencial para o prosseguimento da aventura. Porém, muitas vezes aquela armadura que custou os olhos da cara se revela inútil, e aquele carro que você precisou de um monte de corridas para destravar é uma tartaruga disfarçada de foguete. Neste top, veremos como alguns itens fazem o jogador se arrepender só de vê-los no inventário:


10- Roupas extras que não mudam nada


Após jogar outra vez um game, você zera num tempo suficientemente curto e destrava uma nova roupa para seu personagem. Aí você inicia um novo jogo e descobre que a tal roupa é apenas... uma roupa! Não aumenta a defesa, não faz pular mais alto, é uma mudança apenas estética! E  o jogo não te avisa isso, pra descobrir é preciso jogar de novo, ou seja, é apenas um engana-trouxa visual. Mas o pior foi a geração atual, inventora do conceito de DLC, que transformou o que era só frustração em prejuízo financeiro!

9- Lutador sem magia

Seu inimigo pode soltar raios cósmicos, projéteis mortais e toda a sorte de ataques de longa distância, e você descobre que escolheu um lutador cujo especial é capaz de tirar metade do life do inimigo, desde que você fique a meio pixel dele! O problema é sobreviver até se aproximar tanto! Atire o primeiro controle quem nunca foi metralhado por hadoukens jogando com o Zangief! Programadores, na boa: ou vocês dão magia pra todo mundo ou não dão pra ninguém!

8- Carro que não anda nada

Você escolhe aquela Lotus toda estilosa, achando que ela vai ser foda, com aquele jeitão de carro de corrida. Entra na pista e todo mundo te deixa pra trás! Dá raiva ou não dá? Jogos de corrida estilo simulação tem carros assumidamente lerdos, e é até divertido correr com eles, mas alguns não te avisam que o carro não vale nada, você só descobre quando já está em último. Maldito realismo!

7- Freio

Você aprendeu a lição do item anterior e escolheu um carro bom, aí você vai pra corrida e, na hora da curva, o que você faz? Qualquer coisa, menos frear! Apesar de todo jogo de corrida ter freio (até o Enduro tinha), 90% dos gamers preferem derrapar ou dar aquela apoiadinha no guard-rail do que montar no freio. O costume é tão grande que jogos mais realistas tem até a opção Brake Assist, que freia por você quando o uso do pedal do meio é inevitável.

6- Item que aumenta sua sorte

No meio de uma dungeon escura e perigosa, você acha um baú. Dentro, uma nova armadura. Você experimenta e descobre que ela dobra sua sorte, e comemora: "Oba, os inimigos vão dropar mais dinheiro, legal!". Na primeira batalha, você realmente ganha mais dinheiro ou até mesmo itens, mas apanha feito vaca na horta (by P.A.). Aí você percebe que a tal armadura aumenta sua sorte mas ferra todos os outros atributos, inclusive a defesa. Mesmo quando o item não é uma armadura isso acontece: um simples colar ou bracelete faz isso, não importa o quão bem equipado você esteja! Incrementar a sorte não adianta, pois a grana extra obtida vai ser gasta em poções de cura.

5- Konami LaserScope

Existem toneladas de acessórios inúteis para consoles (valia até um post sobre o assunto), mas nada mais bizarro que esse capacete da Konami (acreditem, ela fez mesmo isso!). Ele nada mais era que um substituto pra pistola do NES, mas ao invés de usar um gatilho você tinha que ficar berrando FIRE! FIRE! FIRE!, que nem um doido na frente da TV. E você achando que jogar Kinect era mico...

4- Magikarp

Só existe um motivo para se gastar uma pokebola capturando essa coisa: completar o Pokedex. Não, o Tristan não está sendo ranzinza, eu COMPROVEI isso: jogando Pokemon Yellow eu deixei uma Magikarp com um carinha que evoluiria ela por mim, afinal evoluir em combate estava fora de cogitação, ela só sabia usar Splash Attack e o golpe é inútil. Voltei depois de UMA SEMANA DE JOGO, ela tinha subido mais de 20 níveis... e só sabia Splash Attack! Era mais fácil o Ash usar uma Magikarp como porrete do que pedir que ela atacasse os inimigos!

3- Botão Select

Ele nasceu no NES, e era sim muito útil naquele controle de poucos botões, fazendo o papel de pause e de selecionador de itens. Os consoles foram evoluindo, a quantidade de botões foi aumentando, e o Select continuou firme e forte, porém cada vez menos útil. Seu prestígio caiu tanto que ele agoniza hoje no controle do PS3, praticamente esquecido. Uma pena...

2- Deku Nut

Apresente-me alguma pessoa que nunca zerou Zelda Ocarina of Time com o bolso cheio dessas nozes inúteis, eu te desafio. Sério, nem o Myiamoto deve ter usado esse item! Sim, ele atordoa inimigos, mas só os mais fracos, onde uma espadada costuma ser bem mais rápida e eficiente. Inimigos mais fortes ou não são afetados ou ficam parados por tão pouco tempo que compensa mais levantar o escudo que tacar uma Deku Nut. Sem dúvida é a arma mais inútil dos games!

1- Botão Mode

O troféu vai para um botão que muitos nem lembram que existe, de tão pouca utilidade. O botão Mode surgiu quando a Sega percebeu que seu novo controle de seis botões para o Mega Drive era incompatível com alguns jogos mais antigos, como Forgoten World. Assim, criou um botão que, ao ser segurado enquanto se ligava o console, transformava-o num de três botões. Se você não sabia disso eu não te culpo, pois eu tive um Mega antigamente, tenho outro hoje e só fiquei sabendo disso recentemente, quando precisei comprar um novo joystick e li isso no manual dele. A quantidade de jogos incompatíveis era tão pequena que raramente surgia o tal problema. O fato é que muitas pessoas até hoje se perguntam pra que servia o tal Mode, o botão menos apertado da história dos games!

Menções honrosas:

- Big the Cat


O mais random de todos os personagens randoms da franquia Sonic, Big é um gato pescador amigo de um sapo. E só! Seu poder especial é pescar o tal sapo que vive fugindo, ele não sabe correr, não sabe pular, não sabe voar, nada! Tenho a impressão de que o cara que criou essa aberração azul queria enterrar o Sonic de uma vez por todas. E, pelo que vimos, ele quase conseguiu!

- Acessórios plásticos do Wii

Vendo que o Wiimote era um controle que se transformava no que o jogador quisesse, a Nintendo achou que seria bacana aumentar a imersão dos jogadores lançando acessórios onde o controle realmente virasse tacos de beisebol, raquetes de tênis e frigideiras. O problema: ela vende pedaços de plástico branco como se eles fossem um acessório útil, mas isso não passa de perfumaria visual. O pior de tudo? ISSO VENDE PRA CARAMBA! Incrível o talento que a Big N tem para criar tranqueiras lucrativas, não acham?


Comente com o Facebook: